Depois de um cerco que durou três dias no município de Barreiras (BA), a 857 quilômetros de Salvador, agentes da Polícia Federal interceptaram no último domingo (30) um caminhão que carregava cerca de 150 quilos de pasta-base de cocaína. É a maior apreensão do produto registrada na Bahia.

A droga estava escondida em seis latões de leite, entre sacos de milho e soja, e seguia da Bolívia para a Bahia. Segundo os policiais, depois de refinada, a droga poderia render até 600 quilos da droga – que, no mercado, valeriam aproximadamente R$ 9 milhões. Suspeita-se que, do Nordeste, a maior parte da droga seria enviada para o exterior.

Na ação, foram presos Pedro Ribeiro e Paulo Manicoré, residentes em Rondônia, um dos Estados percorridos pelos traficantes no trajeto (os outros, segundo a PF, foram Mato Grosso e Goiás). Dois comparsas, que faziam a escolta do caminhão em um Gol, conseguiram fugir quando notaram a aproximação dos policiais. O carro foi abandonado em uma estrada, pouco depois.

No Rio

Na manhã de hoje, a Polícia Federal apreendeu um total de 110 quilos de maconha em duas ações, durante fiscalização de rotina na Rodovia Presidente Dutra, no posto da Polícia Rodoviária Federal em Seropédica, no Rio.

A primeira apreensão aconteceu por volta da zero hora, quando os policiais fiscalizaram um ônibus da Viação 1001 e encontraram quatro bolsas de viagem com aproximadamente 50 quilos de maconha. As bolsas pertenciam a Luciana Lima Fernandes e Izabel Tereza Gomes da Fonseca Martins.

Por volta das 5 horas, os policiais encontraram mais cerca de 60 quilos de maconha em cinco bolsas de viagem num ônibus da Itapemirim. As bolsas pertenciam a Cilene Maria de Miranda e Elaine Cristina Romano Medeiros. Ambos os ônibus faziam a rota São Paulo – Rio de Janeiro.

Segundo informações das pessoas detidas, a droga seria transportada para o morro da Providência, no centro do Rio de Janeiro. Policiais federais vão procurar identificar agora os traficantes envolvidos no caso.