A Polícia Federal prendeu em flagrante o uruguaio Júlio Cezar Fonseca, de 56 anos, hoje pela manhã, na rodoviária de Londrina, no norte do Paraná. Ele estava com cerca de 4.500 ampolas e milhares de comprimidos a princípio identificados como anabolizantes. Por não ter notas fiscais nem licença para comercializar os produtos, ele foi indiciado por contrabando. Alguns produtos têm nas embalagens indicações de procedência italiana, norte-americana ou argentina.

Fonseca, segundo o delegado Pedro Paulo de Figueiredo, afirmou que receberia R$ 250 para transportar o produto até Londrina. Ele teria recebido o carregamento de uma pessoa identificada como Marcelo, em Puerto Iguazu, na Argentina. Em Londrina seria entregue para outra pessoa, que o abordaria já sabendo o horário em que chegaria e com que roupa estaria.

A apreensão foi feita em uma operação de rotina. Fonseca disse à PF desconhecer que estava fazendo algo ilegal. Segundo ele, Marcelo teria dito que se tratava de medicamento para cavalo. O delegado afirmou que também deve ser investigada a situação do uruguaio, que disse viver com uma brasileira em Foz do Iguaçu. O Serviço de Criminalística da PF em Curitiba deve fazer uma análise dos produtos para identificá-los oficialmente e saber se são prejudiciais à saúde.

Entre os produtos apreendidos estão 3.300 ampolas de winstrol depot 1 ml/50 mg, 1 mil ampolas de stanolozol 2 ml/100 mg, 200 ampolas de parabolan 1,5 ml/76 mg, 50 ampolas de primobolan depot 1 ml/100 mg, 600 cartelas de methandrostenolone com 20 comprimidos cada, 239 cartelas de stanozolol com 15 comprimidos cada, 200 frascos de winstrol 30 ml/50 mg, uma cartela de clenbuterol e uma ampola de sustanon.