São Paulo, 10 (AE) – A equipe de inteligência da Polícia Federal apreendeu hoje cerca de R$ 3 milhões em jóias supostamente contrabandeadas na joalheria Nielsen Jóias & Relógios, localizada na Alameda Lorena, nos Jardins. Ninguém foi preso.

De acordo com o delegado da Polícia Federal Wagner Castilho, a apreensão ocorreu após 15 dias de investigações. Uma denúncia anônima informou que a butique vendia jóias originais, mas contrabandeadas da Europa. Todo o estoque da joalheria foi recolhido.

“Apreendemos porque todos os itens se encontravam em situação irregular. Os 157 itens, a maioria relógios, são realmente originais. Eles já foram atestados pelos peritos da PF”, disse o delegado. “No entanto, o joalheiro que traz da Europa um relógio de US$ 120 mil sem pagar os impostos comete o mesmo crime do camelô que traz do Paraguai um relógio de R$ 2.”

Quando os policiais entraram na loja para fazer a fiscalização, o proprietário não estava. “Mas já o identificamos e vamos indiciá-lo pelo crime de contrabando ou descaminho – importar ou exportar mercadorias proibidas ou simular o pagamento de impostos”, afirmou Castilho.

A Nielsen está no Brasil há dez anos. Há quatro unidades na capital e outras no Guarujá, Campos do Jordão e Blumenau (SC). Nas lojas, são oferecidas as mais luxuosas e sofisticadas marcas de relógios e jóias, como Armani, Cartier, Frank Muller e Chopard.

De acordo com o advogado da empresa, Jonas Marzagão, todos os produtos contidos nas unidades têm cobertura fiscal e não são contrabandeados. Ele afirmou que amanhã apresentará à polícia todas as notas de origem das jóias. “É perfeitamente possível que os funcionários da loja não fiquem com os documentos à disposição da fiscalização. Eles estavam com o contador e vamos entregá-los.”