Fortaleza – A Polícia Federal já recuperou pouco mais de R$ 6 milhões dos mais de R$ 164 milhões levados do escritório do Banco Central durante o fim de semana de 5 a 7 de agosto. O roubo foi descoberto na segunda-feira seguinte, dia 8, mas os autores ainda não foram encontrados.

O dinheiro recuperado estava escondido em quatro veículos apreendidos numa carreta da transportadora JE, do empresário José Charles Machado de Moraes, que intermediou a compra dos carros para os autores do roubo. Moraes está preso na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Fortaleza desde o dia 11 de agosto, juntamente com os donos da revendedora Brilhe Car, os irmãos Dermival Fernandes e José Elizomarte Fernandes Vieira.

O desembargador Petrucio Ferreira, do Tribunal Federal de Recursos, negou na terça-feira (6) o pedido de habeas corpus feito pelos três acusados. O inquérito está sob segredo de justiça desde o dia 29 de agosto, por decisão do juiz Danilo Fontele Sampaio, da 11ª Vara Federal.