Simone Vasconcelos, funcionária da SMP&B, empresa da qual o empresário Marcos Valério é sócio, deve ser ouvida hoje (1) pela Polícia Federal, em Belo Horizonte. Ele é acusado de ser o operador do suposto pagamento de mesadas a parlamentares. Simone sacou uma grande quantia de dinheiro da SMP&B e é apontada como distribuidora das mesadas aos parlamentares, o chamado "mensalão".

Na quarta-feira, Simone Vasconcelos deverá depor na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios. A CPMI realiza reunião administrativa na terça-feira para votar requerimentos. Entre eles, a convocação do deputado José Dirceu, do presidente do PSDB, senador Eduardo Azeredo e Daniel Dantas, do banco Opportunity.

"Ela falou na PF (em depoimento anterior) que não sabia o nome das pessoas para quem entregava dinheiro, que até o Marcos Valério pediu para ela ir com uma blusa de uma determinada cor para ela ser reconhecida. Se ela vier com essa história, que ela entregou quase R$ 9 milhões porque a pessoa identificou ela por uma blusa, realmente não vai contribuir para CPI?, disse o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR).