Quatro pessoas foram presas no Ceará e outras cinco estão sendo procuradas pela venda de vagas em universidades públicas e particulares. A Operação, que recebeu o nome de "Vaga Certa", foi deflagrada nesta segunda-feira (30) pela Polícia Federal (PF) no Ceará e no Rio de Janeiro.

Entre os procurados está Olavo Viera, apontado pela PF como líder da quadrilha. De acordo com a polícia, ele estaria em Gramado, no Rio Grande do Sul, e prometeu se apresentar ainda hoje. Os nomes dos demais presos ainda não foram divulgados.

A quadrilha recrutava universitários – chamados de "pilotos" – para fazer provas no lugar de outros candidatos. Pelo serviço, eram pagos R$ 6 mil por cada aprovação. O bando também negociava transferências de universidades particulares para públicas. Eram cobrados valores que variavam de R$ 25 a R$ 70 mil por cada transferência, dependendo do curso e da instituição escolhidos.

Eram fraudados concursos vestibulares no Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Ceará e Minas Gerais. A existência da organização criminosa foi comprovada pela prática reiterada de diversos crimes (fraudes, utilização de identidades e de documentos falsos, falsificações de documentos, vantagem econômica, etc.), pela organização hierárquica e pela distribuição de tarefas entre os integrantes da quadrilha.

Na capital cearense, a operação ocorreu desde as primeiras horas de hoje, e contou com a participação de agentes do Rio de Janeiro com mandados de busca e apreensão. Há uma semana, a PF trabalhava de forma sigilosa em Fortaleza.

No Rio, foram detidas duas pessoas. Os presos vão responder pelos crimes de fraude, utilização de documentos falsos, vantagem econômica, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.