A Polícia Federal prendeu em flagrante duas pessoas acusadas de corrupção envolvendo uma empresa madeireira e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A PF não revelou os nomes dos detidos.

A prisão ocorreu no final da tarde de ontem (4), mas só hoje está sendo divulgada. Segundo a delegada Priscila Fanini, chefa de Comunicação Social da PF, as investigações sobre o caso contaram com a colaboração do próprio Ibama.

Um contador da empresa Borabora ? Madeiras Ltda foi preso junto com uma funcionária do Ibama quando entregava a ela um envelope contendo R$ 10 mil, em frente à sede do instituto. Segundo a delegada, o dinheiro seria usado como propina para que a empresa obtivesse favorecimento ilegal.

A polícia filmou o pagamento e a servidora foi presa em flagrante por corrupção passiva. No mesmo momento, outros policiais abordaram o contador, acusado de corrupção ativa. Com os acusados a polícia encontrou vários documentos, dentre eles uma notificação do Ibama à empresa Borabora Madeireiras Ltda.