Brasília – A Polícia Federal pretende protocolar, ainda nesta segunda-feira (16), o pedido de prorrogação da prisão temporária dos 25 suspeitos detidos durante a Operação Furacão. O pedido tem de ser feito ao Supremo Tribunal Federal (STF), já que alguns dos suspeitos têm foro privilegiado, por serem juízes.

O prazo da prisão temporária termina às 6 horas desta quarta-feira (18). O pedido é feito com antecedência, segundo assessoria da Polícia Federal (PF), para que o ministro relator Cézar Peluzo tenha tempo para analisar o pedido e também para evitar que os presos saiam.

A prorrogação está sendo pedida, segundo a PF, porque não houve tempo de ouvir a todos os suspeitos. A PF considera que, se saírem, os suspeitos podem ocultar provas ou intimidar testemunhas.

A PF informou ainda que os caminhões-cegonha, apreendidos no Rio de Janeiro, só devem chegar a Brasília a partir das 19 horas. Segundo a polícia, as únicas provas que ficarão no Rio serão os R$ 10 milhões em dinheiro, R$ 5 milhões em cheques, US$ 300 mil, 34 mil euros e 400 libras esterlinas.