Policiais civis das delegacias de Maringá e Sarandi prenderam, na manhã desta quinta-feira (23), uma quadrilha que planejava invadir a Cadeia Pública de Maringá para arrebatar presos que fazem parte do PCC ? Primeiro Comandando da Capital ? facção criminosa que age em presídios paulistas. Os criminosos são conhecidos por assaltarem propriedades rurais e ônibus de sacoleiros na região Noroeste do Estado.

A polícia prendeu dez pessoas e apreendeu veículos, armamentos, celulares, farta munição e grande quantidade de droga. ?Mais um brilhante trabalho realizado pela Polícia do Paraná. Estamos fechando as portas do nosso estado para a criminalidade?, declarou o secretário da Segurança Pública do Paraná, Luiz Fernando Delazari.

De acordo com o delegado titular da 9.ª Subdivisão Policial de Maringá, Antônio Brandão Neto, a quadrilha passou a ser investigada há cerca de um mês, quando outros nove integrantes foram presos, depois de cometerem uma série de assaltos a sacoleiros e a propriedades rurais na região. Entre as vítimas dos assaltos está o prefeito do município de Nova Olímpia, Luiz Lazaro Sorvos, que também preside a Associação dos Municípios do Paraná.

Na manhã desta quinta-feira, cerca de 20 policias foram até um condomínio fechado de chácaras, às margens do Rio Ivaí, no município de Ivatuba, próximo a Maringá, onde prenderam a quadrilha. ?Estavam todos dormindo no momento em que minha equipe chegou. A prisão desses dez bandidos mostra a eficiência com que a polícia tem garantido a segurança da nossa comunidade?, declarou o delegado Brandão Neto.

Ainda segundo o delegado, a quadrilha era composta por pessoas do Paraná e também de São Paulo. ?Eles agiam aqui nesta região do Estado, mas alguns integrantes do grupo eram de São Paulo e faziam parte do PCC?, explicou. O delegado informou também que todas as pessoas presas estão sendo ouvidas pela polícia. ?Estamos ouvindo todos os presos e continuamos as buscas por outros integrantes. Sabemos que pelo menos um integrante desta quadrilha, ainda está solto. Mas, no que depender de nossos esforços, será por pouco tempo?, finalizou.

Os dez acusados foram presos em flagrante e deverão responder por tráfico, formação de quadrilha, porte ilegal de armas e receptação. ?Vamos apurar se eles têm envolvimento com outros delitos?, completou o delegado. Orlandino César Morreira, Edson Povoa Soares, Alaudair Marques de Miranda, Juliano Garcia Miranda, Mauro Arruda, Airton Francisco Cordeiro, Jocelene Aparecida de Oliveira, Claudiceia da Silva Tavares, Daiane Oliveira Martins e Andréia Barreto Costa estão recolhidos na delegacia, para que seja verificada a participação de cada um nos delitos.

Foram apreendidos 200 gramas de crack; duas espingardas, calibres 12 e 36; duas espingardas de chumbo; uma pistola Luger, calibre 9 mm; 15 cartuchos calibre 380, várias espoletas e chumbo usados em armas de caça. A polícia também recolheu com os presos 13 telefones celulares, uma balança de precisão, dois televisores, um aparelho de DVD, um aparelho de som, um barco com motor, um cilindro de oxigênio e máquina de solda, duas motocicletas, uma caminhonete e um Fiat Uno.