Foto:Marcio Machado

A Polícia Civil do Paraná está realizando, desde o início da manhã desta sexta-feira, duas operações. A primeira é a Operação Pégasus, em Cascavel, que visa a desmantelar uma das maiores quadrilhas de roubo de cargas e caminhões do Brasil. A outra operação, de combate à pirataria, ocorre nas ruas centrais de Curitiba. A informação é do coordenador do Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce), delegado Sérgio Cirino.

Segundo ele, em Cascavel, estão sendo cumpridos dez mandados de prisão e 11 de busca e apreensão. A Operação Pégasus envolve ações policiais simultâneas para o cumprimento dos mandados. Cirino disse que a quadrilha atuava nos estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Bahia e tinha ramificações no Paraguai.

Pelas estimativas da Polícia, o lucro da quadrilha com o roubo de cargos já passou de R$ 20 milhões. Em uma das casas em que os agentes da operação estiveram na manhã de hoje, foram encontrados carros de luxo e armas.

As investigações, que vinham sendo feitas há três meses, mostram como os integrantes da quadrilha – ladrões, receptadores, estelionatários e donos de desmanches – lucravam com o roubo de caminhões e cargas em vários estados do país.

De acordo Sérgio Cirino, o grupo mostra um altíssimo nível de organização, com o apoio de pessoas que complementam as ações criminosas, comprando a carga ou repassando informações sobre carregamentos que podem ser roubados.

Segundo o delegado do 1º Distrito Policial, Silvan Rodney Pereira, em Curitiba, a operação de combate à pirataria foi deflagrada para evitar que pequenos comerciantes adquiram mercadorias sem nota fiscal, o que leva à suspeita de que não foi pago imposto sobre o produto. Além disso, evita-se a transgressão das leis de direitos autorais, quando se trata de mercadorias falsificadas.