Um funcionário da empresa Ecovia é o principal suspeito de ter comandado o assalto a um posto de pedágio da concessionária, na BR 277, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Há cerca de um mês, bandidos armados levaram R$110 mil do cofre da empresa, enquanto os funcionários que trabalhavam no posto eram mantidos reféns, trancados em um banheiro. “As investigações contaram com técnicas avançadas de rastreamento de ligações e uma série de depoimentos. Foi um trabalho que mostra o empenho e profissionalismo da polícia”, disse o delegado Osmar Dechiche, da delegacia de São José dos Pinhais.

Durante as investigações, os policiais desconfiaram que o gerente de Manutenção da empresa, João Aparecido da Silva, que alegou ter sido rendido pelos ladrões e forçado a colaborar com eles, estaria envolvido no assalto. Em depoimento à polícia, Silva disse que foi abordado na rodovia pelos assaltantes, que simularam ter problemas mecânicos no carro em que estavam. Silva contou que foi rendido quando tentava ajudar o motorista. Em seguida, ele teria sido obrigado a levar os bandidos até o prédio da administração da praça de pedágio, onde estava o cofre.

Os policiais começaram a suspeitar da versão de Silva quando descobriram que o trabalho dele era apenas na praça de pedágio e não na rodovia. Outra “coincidência” que chamou a atenção dos policiais foi o fato de os ladrões terem abordado exatamente o único funcionário, dentre os 30 que estavam no local, que possuía crachá de acesso ao prédio da administração.

Depois dessas constatações, Silva passou de testemunha a suspeito e teve a vida investigada. Os policiais rastrearam as ligações feitas por ele no dia do assalto e algumas levantaram suspeitas. A polícia ainda investiga quem teria conversado com o gerente naquele dia, minutos antes do assalto.

Outra pista deixada pelos assaltantes foi o carro usado pelos bandidos para “encenar” o problema mecânico na BR-277 e que foi abandonado no local depois do assalto. Durante quinze dias, foram investigados os nomes dos proprietários do veículo. O último deles é Ademar Camargo Silva, 34, que, depois de reconhecido pelas vítimas como um dos participantes no roubo, foi preso.

A polícia estima que, ao todo, seis pessoas estiveram envolvidas no roubo, entre elas, Airton dos Santos, 36 anos, que teria ficado com a maior parte do dinheiro roubado na praça de pedágio. Os nomes dos outros foragidos ainda não foram divulgados pela polícia para não atrapalhar as investigações.