A Promotoria de Justiça da Comarca de Campo Mourão ajuizou ontem ação civil pública contra a prefeita de Farol, Dirnei de Fátima Gandolfi Cardoso, a secretária municipal de Educação, Vera Lúcia Nogueira Costa Vicente, e o chefe do setor de transportes do município, Ademar Correa dos Santos, por improbidade administrativa. De acordo com o Ministério Público, os três teriam promovido excursões a Foz do Iguaçu para vários servidores municipais, utilizando a frota de microônibus escolares da cidade.

O promotor de Justiça Marcos José Porto Soares, responsável pela ação, identificou pelo menos três situações, uma em dezembro de 2005 e duas em dezembro de 2006, em que veículos da rede municipal de ensino foram usados para levar funcionários públicos e outros moradores de Farol para passeios e compras em Foz do Iguaçu. Na última ?turnê?, como destaca a promotoria, a turma foi flagrada pelo Ministério Público e pela Polícia Militar, que constataram o uso dos veículos e a compra de vários produtos importados.

?Tudo indica que a prefeita promovia as ditas excursões com o intuito de se promover politicamente?, afirma Soares. Uma possível condenação por ato de improbidade administrativa implicaria, entre outras sanções, no afastamento do cargo público, pagamento de multa e perda dos direitos políticos.

Em Formosa do Oeste, a Promotoria de Justiça da Comarca protocolou ontem duas ações civis públicas contestando a contratação de parentes de autoridades pelas Câmaras Municipais de Iracema do Oeste e Nova Aurora. Com estas ações, a Promotoria encerra as providências em relação ao nepotismo na comarca de Formosa do Oeste, iniciadas com Recomendações Administrativas enviadas em agosto de 2006 a quatro Prefeituras Municipais e a quatro Câmaras de Vereadores: Formosa do Oeste, Jesuítas, Iracema do Oeste e Nova Aurora. As recomendações advertiam as autoridades sobre a questão e estabeleciam prazo para a exoneração de parentes de até terceiro grau contratados para cargos em comissão.