O Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), entidade da advocacia, repudiou nesta sexta feira (16) “a postura do presidente do Supremo Tribunal Federal”, ministro Joaquim Barbosa, na retomada do julgamento do mensalão.

Em nota pública, o IDDD sustenta que a “conduta do ministro (Joaquim Barbosa), na última sessão plenária do STF, quinta feira (15), revela seu desprezo a argumentos diversos e à necessária contraposição de ideias em regime democrático”.

Barbosa se envolveu em um entrevero com o ministro Ricardo Lewandowski. A sessão foi encerrada. Para o IDDD, a atitude de Barbosa, “de franco desprezo e ofensas aos que opinam de modo diverso”, deveria ser repelida em público pelos demais ministros.