A Assembleia Legislativa do Estado do Paraná inicia, nesta segunda-feira (12) um novo capítulo de sua história, com a entrada em funcionamento do ponto biométrico, que é um controle eletrônico de frequência dos funcionários do Poder Legislativo.

O ponto biométrico passa a ser o comprovante de presença de cada funcionário. É um sistema moderno, atualizado e de segurança. O objetivo do novo sistema é garantir maior controle da Administração, maior transparência e investir na melhoria da produtividade da Casa.

Os funcionários da Assembleia Legislativa do Paraná fizeram, recentemente, um recadastramento onde foram colhidas, através de meio eletrônico, as suas digitais. Essa ação deu início a implantação do referido sistema.

Foram instalados um total de 6 (seis) pontos eletrônicos nos seguintes locais: três na portaria principal; um na entrada do prédio administrativo; um na entrada da garagem, no subsolo (localizada no anexo principal onde estão os gabinetes parlamentares); e um na entrada do prédio do plenário.

Os servidores do legislativo paranaense, a partir de agora, devem proceder da seguinte forma: ao ingressar em seu horário de expediente deve procurar o ponto mais próximo de sua entrada e registrar o ingresso na Casa, colocando o polegar direito no respectivo censor, localizado no relógio ponto; este registro é único, individual e de responsabilidade, exclusiva, do funcionário; ao concluir a jornada de trabalho o funcionário deve se dirigir ao ponto mais próximo e fazer o registro de saída, confirmando o fim do seu horário de expediente; para casos de atrasos os funcionários devem fazer o registro de ingresso e procurar, imediatamente, o responsável pela diretoria ou coordenadoria a qual está lotado para justificar o mesmo. Essa justificativa será anotada pelo responsável e comunicada ao Departamento de Recursos Humanos.

Os funcionários que, por conta de alguma eventualidade não puderam no dia do seu recadastramento fazer a coleta eletrônica das suas digitais, devem procurar o mais breve possível o Departamento de Recursos Humanos da Assembleia Legislativa do Paraná para sanar o problema.

A ausência do registro caracteriza falta no trabalho. Segundo material divulgado pela Assembleia, é normal que a implantação de um novo sistema gere dúvidas e que algumas pessoas necessitem de auxílio para aprender a dominar a nova tecnologia. O Departamento de Recursos Humanos está colocando à disposição de todos os funcionários técnicos para sanar eventuais dúvidas.