À frente nas pesquisas e com chances de vencer no 1.º turno, o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, prepara um arsenal de números contra um possível confronto com seu principal adversário, Aloizio Mercadante (PT), no debate marcado para hoje, às 21h50, na TV Globo. A principal preocupação tucana é tentar manter o índice de intenção de votos válidos de Alckmin, que chegou a 55% na última sondagem do Ibope, o que lhe daria a vitória de antemão. Alvo potencial dos demais candidatos, ele pretende se manter alheio às críticas às gestões tucanas no Estado, falar de projetos e preferencialmente perguntar a Fábio Feldmann (PV), o candidato com quem teve menos rusgas desde o início da disputa.

Por outro lado, o debate pode ser a última chance de Mercadante, caso não haja 2.º turno, para confrontar diretamente o tucano e arrancar votos. Nos últimos dois debates, realizados pela RedeTV! e pela Rede Record, Alckmin e Mercadante não duelaram. Pelas regras, o petista não teve chances de perguntar ao tucano e lamentou a falta de oportunidade de confrontá-lo.

Por isso, o petista vai ao debate com discurso calibrado para o eleitor indeciso e concentrará esforços em duas frentes de trabalho. Na primeira, ele tentará reforçar a sua imagem como “o candidato do presidente Lula” e reafirmar a promessa de “fazer por São Paulo o que Lula fez para o Brasil”. A segunda é partir para o confronto com Alckmin, colocando em xeque a gestão tucana em São Paulo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.