O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), voltou a questionar hoje a origem do dinheiro encontrado pela Polícia Federal (PF) em 2006, quantia que seria usada para a compra de um dossiê contra o então candidato do PSDB ao Palácio dos Bandeirantes, José Serra. O episódio ficou conhecido como “dossiê dos aloprados”.

Durante a cerimônia de premiação do Destaque Agência Estado Empresas 2011, relativo ao ranking de 2010, elaborado em parceria com a Economatica, o governador disse não ter acompanhado o depoimento do ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, em audiência no Senado, mas disse que, depois de quase cinco anos, a origem do dinheiro ainda não foi esclarecida.

“O que eu estranho é que, passados praticamente cinco anos, não se tenha até agora descoberto a origem de R$ 1,750 milhão que ninguém sabe de onde apareceu. Isso é inacreditável”, afirmou.

Em reportagem recente, a revista “Veja” divulgou conteúdo de gravação na qual um dos membros do PT voltou a ligar Mercadante à compra do dossiê, mas o ministro negou as acusações.