Carente de uma figura pública desde que levou o cano do deputado Jair Bolsonaro, o Patriota conta agora com um legítimo ‘outsider’ em suas fileiras. O ator Alexandre Frota se filiou ao antigo PEN (Partido Ecológico Nacional) e vai disputar as eleições de 2018 – só não sabe ainda para qual cargo. Em princípio, ele deve se candidatar a deputado federal pela legenda.

“Hoje, em uma reunião que tivemos, ele levantou a possibilidade de sair para governador [de São Paulo]. Vou levar isso à executiva nacional, mas, de qualquer forma, a candidatura dele a deputado federal está garantida”, afirmou Adilson Barroso, presidente do Patriota. Frota assinou sua ficha no dia 24 de fevereiro, em convenção estadual do partido, em São Paulo, e já nesta segunda-feira (5) esteve em Brasília para participar de reunião com presidentes de diretórios estaduais do partido.

De acordo com Barroso, a ida de Frota para o Patriota se deu por conta das afinidades ideológicas entre ele e a agremiação. “Frota está sempre defendendo o patriotismo brasileiro nas redes sociais. O que ele pensa está de acordo com o que o partido prega”, diz.

Em vídeo publicado em sua página no Facebook nesta segunda, o ator justifica sua opção pela legenda. “É um partido que tem suas contas limpas e aprovadas, que luta pela verdade”, afirma. Além disso, outro motivo para a escolha é a decisão do Patriota de não se coligar com agremiações de esquerda.

Perfeitamente ambientado na sigla, Frota parece já estar em campanha. Em um segundo vídeo, ele aparece na galeria da Câmara dos Deputados criticando a ausência dos parlamentares. “Agora são 5 horas da tarde, segunda-feira, horário em que normalmente a maioria dos brasileiro está trabalhando e (…) aqui não tem um deputado trabalhando”, dispara.

Amigo de Bolsonaro

Com posições políticas parecidas, Frota diz ser amigo pessoal do deputado Jair Bolsonaro, que ficou muito perto de se filiar ao Patriota. O deputado e pré-candidato iria disputar a Presidência da República nas eleições de outubro deste ano pelo partido de Barroso, mas acabou desistindo e firmando acordo com o PSL (Partido Social Liberal).

Pouco depois, Barroso se disse “aliviado” com a desistência, alegando exageros nas exigências do pré-candidato. À Gazeta do Povo, ele afirmou que só um “débil mental” atenderia a todos os pedidos de Bolsonaro. Agora, entretanto, Barroso diz que, após a filiação oficial do deputado ao PSL, os dois devem conversar sobre a possibilidade de aliança nas eleições.

Apesar de serem amigos, Frota e Bolsonaro estão em partidos diferentes. Foto: Reprodução/Instagram
Apesar de serem amigos, Frota e Bolsonaro estão em partidos diferentes. Foto: Reprodução/Instagram