Os deputados estaduais e federais aliados de Dilma Rousseff (PT), em Londrina, decidiram arregaçar as mangas para tentar melhorar o desempenho eleitoral da candidata a presidente no município.

Os deputados federais André Vargas (PT), Alex Canziani (PTB), o deputado estadual Luiz Eduardo Cheida (PMDB), o prefeito de Londrina, Barbosa Neto (PDT) e a senadora eleita Gleisi Hoffmann (PT) estão convocando para hoje um ato público no Sindicato do Comércio Varejista de Londrina, para lançar uma Frente Pró-Dilma Presidente.

Agência Câmara
André Vargas: frente para a reação.

A votação da candidata no primeiro turno em Londrina mexeu com os brios do grupo. Entre os maiores colégios eleitorais do Estado, a cidade foi a única em que Dilma ficou em terceiro lugar, perdendo para Marina Silva (PV).

Dilma fez apenas 51.029 votos (18,77%), atrás de Marina que fez 64.467 votos (23,71%). O primeiro lugar coube a José Serra (PSDB), com 152.045 votos (55.92%).

A votação de Dilma chamou a atenção porque os investimentos do governo Lula na cidade não foram poucos. Além disso, a cidade tem três representantes de primeiro escalão no governo federal: os ministros Paulo Bernardo (Planejamento), Marcia Lopes (Desenvolvimento Social e Combate à Fome) e Gilberto Carvalho (chefe de Gabinete).

O Secretário nacional de Comunicação do PT, o deputado federal André Vargas, disse que o resultado surpreendeu. “A Marina acabou crescendo no final. Isso nunca tinha aparecido nas pesquisas de intenções de votos”, afirmou o deputado federal.

O resultado de Dilma na cidade reproduziu a votação estadual, em que apesar de o prefeito ser do PDT, o senador Osmar Dias teve uma das menores votações do estado. Beto Richa (PSDB) obteve 71,87% dos votos, o correspondente a 190 mil votos e Osmar fez 25,05% ou 66 mil votos.