O senador Alvaro Dias, que também almeja ser o candidato do PSDB ao governo do Paraná, criticou a postura do partido de romper com o governo neste momento.

“Deixar o governo no final do mandato é fácil, depois de aproveitar-se dele por seis anos e meio. Isso era uma atitude para o começo e não para o final do governo”, disse.

Alvaro lembrou que a direção nacional do partido está orientando os estados a buscar aproximação com o PMDB para fortalecer a candidatura de José Serra à presidência. “É uma atitude na contramão do projeto maior do partido que é eleger o presidente da República”, disse.

O senador lembrou que, por não fazer parte da executiva estadual do partido, não pode influenciar na decisão, mas disse que não apostaria na promessa dos deputados tucanos de se tornarem oposicionistas.

“Numa outra oportunidade, em que os deputados governistas foram ameaçados de expulsão, eu os defendi. Eles continuaram governistas e não foram expulsos. Então eu não aposto no cumprimento dessa promessa de que farão oposição”, disse.

Para Alvaro, a decisão é reversível no momento da costura das coligações. “Acho que a aliança eleitoral pode ser construída apesar disso. É evidente que atrapalha um pouco”, concluiu.