O senador Alvaro Dias (PSDB) pediu ação da Polícia Federal para investigar o caso do ex-funcionário do Palácio do Planalto Demetrius Felinto que, de acordo com a Revista Veja deste domingo, teria informações sobre imagens de câmeras de segurança que confirmariam o encontro entre a ex-ministra Dilma Rousseff e a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira. O encontro é negado por Dilma desde 2008, no auge das investigações sobre irregularidades cometidas pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB). Lina Vieira diz que foi após esse encontro, e a pressão exercida por Dilma, que a Receita Federal encerrou as investigações contra Sarney.

“Em dezembro do ano passado recebi um e-mail de Demetrius Felinto Sampaio, ex-funcionário do Palácio do Planalto. Demetrius informava que o governo escondeu imagens das câmeras de segurança que comprometem a candidata Dilma Rousseff e se ofereceu para contar toda a verdade. Depois, assustado, recuou”, contou Alvaro Dias. “Pedi à Policia Legislativa do Senado para investigar o caso. Em depoimento o técnico em informática não desmentiu as informações, mas negou que tivesse mandado a mensagem eletrônica. Valeu-se do mesmo artifício do José Aparecido assessor da Casa Civil à época do “dossiê’ formatado para amedrontar a oposição durante a CPI dos Cartões Corporativos: “a mensagem saiu do meu computador, mas não fui eu que a enviei’”, explicou Alvaro. “A Policia Federal precisa entrar em ação”, concluiu.

Enquanto PSDB tenta desenterrar o caso Lina Vieira, o PT contra-ataca com denúncia até criminal contra o vice de José Serra, deputado Índio da Costa (DEM), que declarou que “o PT está ligado ao narcotráfico, às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e “ao que há de pior’ na política”. O PT diz que vai entrar com três ações na Justiça, além pedir direito de resposta no site do PSDB. “Se depender de nós, não haverá uma batalha judicial, mas todas as vezes em que formos acusamos e ofendidos vamos recorrer ao Judiciário”, afirmou o presidente do PT, José Eduardo Dutra, que coordena a campanha de Dilma Rousseff à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “As declarações do candidato a vice de Serra são mentirosas, inaceitáveis e gravíssimas”, disse. A ação criminal contra Indio será impetrada no Supremo Tribunal Federal (STF), sob a alegação de injúria, calúnia e difamação. O PT moverá, ainda, ação civil contra o vice de Serra por danos morais e outra eleitoral, com a solicitação de direito de resposta no site tucano. A cúpula petista avalia, porém, que as estocadas de Indio não são aleatórias. “Fazem parte da estratégia que a oposição escolheu para fazer a campanha”, insistiu Dutra, fazendo críticas a Serra. “Temos visto, inclusive, manifestações do próprio candidato do PSDB que procuram desqualificar Dilma.”