O candidato à prefeitura de Manaus Omar Aziz (PMN) ganhou quase quatro dos oito minutos do último programa do candidato Amazonino Mendes (PTB). Candidato pela coligação “União por Manaus” (PSL-PR-PRP-PMDB-PTdoB-PRB-PMN-PSC), Omar conseguiu no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) o direito de resposta à acusação de Amazonino de que teria sido ele quem pediu impugnação da candidatura do petebista por não ter pago dívidas eleitorais na eleição.

No último programa eleitoral, os seis candidatos à prefeitura da capital do Estado se despediram dos eleitores com resumos de propostas. Amazonino, Omar, Francisco Praciano (PT), Serafim Corrêa, da coligação “Manaus para Todos” (PSB-DEM-PDT-PSDB-PSDC) Ricardo Bessa, da “Frente de Esquerda Socialista” (PSOL-PSTU), e Luiz Navarro (PCB) optaram por programas simples, com o candidato falando diretamente.

Serafim, que afirmou nos últimos programas ter conseguido resolver a falta de água em bairros da zona leste da capital amazonense, usou a entrevista feita com uma eleitora há duas semanas, que reclamava das torneiras sem água. Ele voltou ao mesmo local e a eleitora o cumprimentou porque a água “teria aparecido”.

Amazonino, da coligação “Manaus, um Futuro Melhor” (PTB-PP-PHS-PRTB-PTN-PTC), usou cenas de comício, em que critica um dos carros-chefes da campanha de Omar, a criação de subprefeituras. “Não vamos desperdiçar dinheiro do povo e vamos criar a prefeitura itinerante”, afirmou.

Em seu último programa, Praciano, da coligação “A Vitória do Povo” (PT-PPS), mostrou novamente gravações de alguns ministros a seu favor, repetindo a de Tarso Genro, do Ministério da Justiça. “Praciano tem compromisso com o governo Lula (presidente Luiz Inácio Lula da Silva)”, disse Genro.