O cientista político e professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Fábio Wanderley, se mostrou cético com relação aos resultados do encontro que a presidente Dilma Rousseff (PT) teve com os 27 governadores, na quinta-feira, 30, no Palácio da Alvorada, em Brasília. “A despeito da boa vontade demonstrada pelos gestores estaduais e pelo próprio governo federal, não consigo ver no que isso pode resultar, estou cético quanto à tentativa de construção de um pacto, neste momento em que as crises política e econômica estão em alta e a presidente Dilma exibe um enfraquecimento político”, diz o professor.

Para Fábio Wanderley, o quadro atual no País está muito ruim em todos os sentidos. “Por isso mesmo, é muito difícil ver com clareza as saídas neste momento, não sei como sairemos disso de maneira satisfatória.” Além disso, o cientista político não aposta que a presidente Dilma Rousseff tenha condições, pela fragilidade política em que se encontra, de lidar com o atual cenário de forma eficiente.

Apesar do ceticismo com relação a um eventual fechamento de pacto entre os governos federal e estaduais, o professor da UFMG não acredita que Dilma corra o risco de sofrer um impeachment ou que poderá haver alguma tentativa de golpe no País. “O que eu acho é teremos períodos muito difíceis na longa travessia que teremos pela frente, até a reversão do atual cenário.”