O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, afirmou esperar que a decisão da presidente Dilma Rousseff em adiar o anúncio da reforma ministerial possa fazer com que o PMDB deixe o governo.

“Não é questão de acordo, espero até que não tenha acordo, se for possível”, disse. “Minha posição é de deixar o governo, do ponto de vista da minha militância. Por mim quanto mais não tiver acordo, melhor”, disse.

Cunha reforçou que acha que o PMDB deveria anunciar sua saída do governo. “Minha posição é clara e pública”, afirmou.

Mais cedo, Cunha já havia dito que a tentativa da presidente Dilma Rousseff de oferecer cargos ao partido como forma de manter o apoio “não é a melhor forma de fazer”.

“Da minha parte, simplesmente ignoro o que está acontecendo com a reforma. É um gesto do qual eu não faço parte. Não tenho nenhuma gerência, nem ingerência, e nem quero ter”, completou.