O estresse pode ser um dos fatores complicadores de quadros de embolia pulmonar. No entanto, assim que deixar o hospital, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), tem tudo para passar por novas situações estressantes.

O início de mandato, sempre marcado por grande número de decisões, guarda escolhas importantes e tarefas difíceis para o prefeito. Veja algumas delas.

Reintegração do transporte

Uma das principais promessas de campanha de Rafael Greca foi voltar a fazer a reintegração total do transporte coletivo com a região metropolitana. O compromisso tem apoio do governador Beto Richa (PSDB), mas mesmo assim não é tão simples.

De início, Greca dizia que poderia resolver isso em 30 dias. Agora, fala em ter tudo pronto até o final do primeiro semestre. Além do realinhamento dos sistemas de cobrança, é preciso fazer a reintegração física de algumas linhas.

Tarifa

No mês que vem, Greca terá que decidir aquilo que, segundo ele próprio, é um “espinho no coração do prefeito”: o aumento da tarifa de ônibus. Hoje, o passageiro paga R$ 3,70 (com tarifa domingueira de R$ 2,50).

Antes da decisão da tarifa em si, Greca terá de esperar a negociação entre cobradores, motoristas e empresas de ônibus para saber o índice de reajuste das categorias. Os salários representam 50%, aproximadamente, da tarifa.

Tudo indica que a tarifa deve subir e que o prefeito acabará com o represamento da tarifa técnica praticado pelo ex-prefeito Gustavo Fruet – repassando aos empresários o mesmo valor pago pelos passageiros na catraca. Segundo ele, “as coisas custam o que custam”.

Nomeações

Greca fechou as nomeações de seu primeiro escalão, com secretarias, autarquias e assessores pessoais. Agora, é hora de distribuir os cargos menores, de segundo e terceiro escalão, com mais pressão dos partidos.

Entre os postos fundamentais estão as diretorias da Urbs, que comanda o transporte coletivo. Também há as definições de institutos que prestam serviços para o município, como o polêmico Instituto das Cidades Inteligentes (ICI); o Instituto Curitiba Saúde (ICS); e o ICAC, que gerencia boa parte da cultura municipal.

Saúde

Área que Greca disse ser prioritária no seu mandato, a saúde exigirá investimentos imediatos da gestão. Em sua campanha, o prefeito falava que várias promessas seriam cumpridas imediatamente.Caso dos aplicativos para marcação de consultas e mutirões de especialidades.

O atendimento nas unidades de saúde vem sendo a principal reclamação dos eleitores nas últimas gestões. É muito provável que Greca venha a ter seu desempenho medido, em grande medida, pelo que conseguir fazer no setor.

Brigas

O prefeito comprou várias brigas antes da posse. Com a classe artística, pelo cancelamento da Oficina de Música; com os donos de bares e casas noturnas, por dizer que irá fechá-los à meia-noite; e com os defensores do metrô, por dizer que isso é obra “de toupeira”. Em vários casos, isso representará conflitos de longo prazo – os empresários do setor de bares, por exemplo, prometem reagir às declarações de Greca.