O deputado federal Alceni Guerra (DEM) declarou, ontem, que irá pedir o afastamento do também deputado federal Abelardo Lupion da presidência estadual do partido até o final das eleições de outubro deste ano.

A declaração de Guerra ocorreu durante a reunião de sete deputados federais e estaduais do DEM com o ex-prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), para declarar apoio à pré-candidatura do tucano ao governo do Paraná. Lupion defende o apoio do partido a Osmar Dias (PDT)

Além de Guerra, declararam apoio a Beto os deputados federais Eduardo Sciarra, Luiz Carlos Setim e Cássio Taniguchi, além dos deputados estaduais Plauto Miró, Durval Amaral e Osmar Bertoldi, que ainda levaram o apoio do presidente da Assembleia, Nelson Justus, que não compareceu ao encontro.

“Em 1989, por não apoiar a candidatura do partido à presidência (Aureliano Chaves disputou as eleições vencidas por Fernando Collor), me licenciei da presidência do partido para deixar a maioria, que decidiu pela candidatura, valer. Então, tenho autoridade para cobrar essa mesma postura do nosso presidente, para deixar o partido seguir o que a quase unanimidade defende”, disse Guerra.

O discurso do deputado federal foi reforçado por Bertoldi. “Esse encontro é para deixar claro que apesar de, por enquanto ser apenas opiniões pessoais, essa é a opinião pessoal da ampla maioria do partido, então, é a vontade do Democratas. Quem está querendo fazer valer sua vontade individual e isolada é o presidente Lupion”, declarou.

Durval Amaral disse que aliar-se ao PSDB é o caminho natural do partido. “Não queremos uma aliança que nos obrigue a dar explicações. A aliança com o PSDB é autoexplicativa, é com quem estamos juntos no plano nacional e com quem caminhamos no Paraná há diversos anos. Não há hipótese de estarmos com PT ou PMDB nestas eleições”, afirmou.

Os deputados querem fechar apoio institucional do partido ao tucano, para ceder a Beto o tempo de TV do DEM na campanha. E querem que o apoio seja fechado antes das convenções, marcadas para junho.

O presidente estadual do DEM garantiu que a decisão só será tomada na convenção e criticou a sugestão de Alceni Guerra. “O deputado Alceni não tem autoridade nenhuma para fazer uma sugestão dessa. Esse grupo de deputados está tentando adiantar uma decisão que tem data e foro legítimo para ser tomada, que é a convenção. Eles podem manifestar apoio a quem quiserem, mas até junho, nada será decidido”, disse Lupion, que acredita que a disputa da convenção será tão equilibrada quanto o provável embate entre Beto e Osmar.

“Em Curitiba e região, há a preferência pelo ex-prefeito, mas o interior é Osmar Dias. E é assim também entre os nossos militantes”, disse. Lupion declarou que, se derrotado na convenção, não apoiará Beto Richa, assim como não exigirá apoio a Osmar dos outros deputados em caso de vitória.

“Estou com o Osmar há 20 anos, não há chance de não ir com ele. Mas os outros também serão liberados. O que está em jogo é o tempo de TV e uma aliança na proporcional que nos permita eleger o maior número de deputados federais e estaduais”, disse.

Beto Richa comemorou o apoio, dizendo que sente-se mais fortalecido para continuar construindo sua candidatura, enquanto Osmar Dias não comentou a reunião, alegando que conversa diretamente com o presidente do Democratas.