Foto: João de Noronha

Tadeu Veneri: esclarecimentos.

Por 20 votos a 14, a Assembléia Legislativa aprovou o requerimento do deputado Tadeu Veneri (PT), que pede informações ao secretário de Estado de Trabalho, Nelson Garcia, sobre um suposto esquema deixado pelos seus antecessores no cargo de desvio de recursos públicos. Conforme o requerimento, o jornal HoraH News publicou nota, em 20 de março, atribuindo ao secretário a divulgação de dados sobre supostas irregularidades na pasta.

O líder do governo, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), orientou a base aliada do governo a votar contra o requerimento, justificando que não é possível fundamentar um pedido de informações sobre uma notícia de jornal. Romanelli afirmou que o secretário negou a autoria das informações e que por isso não via motivos para enviar o requerimento. O líder do governo também disse que Garcia poderia conversar diretamente com o deputado petista, sem que a matéria fosse votada em plenário.

Veneri contestou o líder do governo, dizendo que se o secretário fez as acusações em público, teria que negá-las também em público. ?Se a acusação é pública, o desmentido não pode ser em particular?, declarou. O petista afirmou que o governo tem obrigação de informar se há uma auditoria no órgão, seus resultados e os responsáveis e suas punições no caso de constatação das irregularidades.

A bancada do PSDB, partido do qual Garcia acaba de se desfiliar, cogita pedir a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito para apurar a situação que o secretário encontrou ao tomar posse em fevereiro deste ano. Antes de Garcia ocuparam o cargo o ex-deputado federal Padre Roque Zimermman (PT) e o atual diretor-geral da pasta, Emerson Nerone (PHS). Procurado, o secretário do Trabalho não retornou aos telefonemas da reportagem de O Estado.