A Assembleia Legislativa (AL) já tem novo diretor de pessoal. O servidor de carreira Antônio Carlos Gulbino foi anunciado ontem, como o novo ocupante do cargo, assumindo no lugar de Cláudio Marques da Silva, que pediu demissão anteontem, por pressão do Ministério Público Estadual.

Silva irritou os promotores do MPE, responsáveis pela apuração das denúncias de irregularidades na AL, ao se recusar a prestar informações em depoimento no início da semana.

O MPE enviou recomendação à Mesa Executiva pedindo o seu afastamento. Desde o início das denúncias, já haviam deixado seus cargos o ex-diretor geral Abib Miguel e o diretor-administrativo, José Ary Nassif.

O MPE destacou seis promotores para investigar as denúncias publicadas pelo jornal Gazeta do Povo e RPC TV que, em série de reportagens, mostrou indícios de desvios de recursos públicos para contas de funcionários fantasmas. A AL também criou comissão para apurar as denúncias.

O Comitê Municipal do PCdoB de Curitiba divulgou nota oficial exigindo a saída dos integrantes da Mesa Diretora da AL, formada pelo presidente, 1º. secretário e 2º. secretário.

Para o PCdoB, as irregularidades denunciadas na Casa “são de atos e atribuições da referida mesa diretora”. “A manutenção dos suspeitos na direção da mesa diretora pode dificultar o trabalho das autoridades policiais. Não é possível que a resposta do Parlamento se restrinja única e exclusivamente na demissão de servidores que recebiam ordens da mesa executiva para cometer tais ilícitos”, diz a nota do PCdoB, assinada por seu presidente, José Ferreira Lopes (Dr. Zequinha).