A Comissão Especial que conduz o processo de escolha do novo conselheiro do Tribunal de Constas do Estado irá fazer um esforço concentrado a partir desta terça-feira, 14, para acelerar o processo e permitir que a eleição seja realizada até o final do mês. Em dois dias, o presidente da Comissão, Elio Rusch (DEM), pretende ouvir vinte e oito candidatos. Serão treze no primeiro dia e mais 16 na quarta-feira.

No total, 42 nomes estão inscritos para ocupar a vaga, reaberta com a anulação da indicação de Maurício Fruet pela presidência da Assembleia Legislativa e o governador Beto Richa (PSDB).  Nesta fase das sabatinas, ao contrário da primeira etapa em que foram ouvidos catorze inscritos em duas semanas, com tempo de sobra, cada candidato terá apenas dez minutos.

Rusch irá fazer reuniões prolongadas para tentar cumprir os prazos. E derrotar também a estratégia atribuída ao PMDB pelos governistas que viram no recorde de inscrições uma bem articulada ação para atrasar o processo a tempo de Maurício reverter na Justiça o cancelamento de sua eleição. Na primeira tentativa, no Tribunal de Justiça, o ex-secretário não foi bem sucedido já que foi negada liminar ao seu pedido para interromper a nova eleição.

A  base do governo na Assembleia Legislativa está empenhada em obter apoios à indicação do atual procurador do Estado e servidor do TCE, Ivan Bonilha. O primeiro desafio é esvaziar a candidatura de outro membro da base aliada, o deputado Nelson Garcia (PSDB), que se recusou a retirar o nome em favor de Bonilha.

Encerradas as sabatinas na quarta-feira, começa a fluir o prazo de três dias para que a Comissão apresente seu relatório ao presidente da Assembleia. Neste relatório, constarão as decisões sobre os pedidos de impugnação e os nomes dos candidatos que serão submetidos ao voto em plenário.