Um grupo com 90 assentados do Movimento dos Sem-Terra (MST) invadiu nesta quarta-feira a sede regional da Elektro, concessionária de energia elétrica, para protestar contra o atraso no programa Luz para Todos, do governo federal. Os manifestantes fazem parte do Assentamento Luiz Deivid de Macedo, localizado em Apiaí, município da região. De acordo com os sem-terra, o assentamento foi criado há oito anos e desde 2008 está inserido no programa, mas a energia ainda não chegou. “Minha família está assentada há sete anos e até hoje estamos à base de velas e lamparinas”, reclamou Josimar Soares, um dos manifestantes.

O assentamento tem 65 famílias cadastradas. Os assentados montaram acampamento na parte interna das instalações. Por medida de segurança, o atendimento ao público passou a ser feito apenas por telefone. Representantes da Elektro reuniram-se com assentados no início da tarde em busca de uma solução. A gerência local da concessionária informou que a instalação da rede elétrica depende de licença ambiental, pois o assentamento é um Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) por se localizar em área de preservação. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) foi contatado para intervir junto ao órgão ambiental do Estado visando à obtenção da licença. No final da tarde, os manifestantes decidiram desocupar as instalações.