O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, cometeu um ato falho ao comentar que o aumento dos benefícios do Bolsa-Família seria de 10%. Ao ser questionado quando o aumento entraria em vigor, Augustin respondeu que “os 10%” seriam dados em setembro. Interpelado pelos jornalistas de que o valor não tinha sido divulgado, o secretário disse que fez confusão e negou que o reajuste será nesse valor. “O número não é esse”, disse.

O reajuste do Bolsa-Família e o novo reajuste dos servidores (concedido em junho com impacto nas contas de julho) vão pressionar ainda mais as contas do governo federal no segundo semestre.