O prefeito de Paranaguá, José Baka Filho (PDT), respondeu ao procurador-geral do Estado, Sérgio Botto de Lacerda, que o acusou de votar contra a cidade, ao rejeitar a mudança de local do terminal de fertilizantes a ser construído no Porto de Paranaguá. O prefeito justificou que seu voto, manifestado na reunião do Conselho de Autoridade Portuária (CAP), realizada na semana passada, foi coerente com o Plano de Desenvolvimento e Zoneamento dos Portos Organizados (PDZPO) e respeitou o Plano Diretor do município.

Baka Filho definiu como "absurdas" e "inverídicas" as declarações do procurador, que identificou no voto do prefeito um obstáculo à construção do novo terminal. O prefeito disse ainda que a manifestação do procurador revela "ignorância" sobre as questões portuárias. "A Prefeitura, assim como os trabalhadores, os operadores e os usuários do Porto de Paranaguá são a favor do terminal de fertilizantes, desde que ele seja público de fato e construído na área prevista no Plano de Desenvolvimento", declarou Baka Filho. Ele disse ainda que o procurador está tentando polemizar sobre um assunto que desconhece.

 "O advogado Botto deveria mostrar humildade em querer aprender sobre portos para não falar bobagem, pois a mudança de local proposta pela APPA (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina) só irá facilitar a vida de uma empresa privada, além de prejudicar uma parte da população de Paranaguá", atacou o prefeito, acrescentando que a mudança de local do terminal traria transtornos ao acesso de moradores de zonas residenciais do município, já que o fluxo de caminhões aumentaria sensivelmente.