Reduzir o custeio da prefeitura em pelo menos 10% até o final do ano é um dos principais objetivos da administração municipal de Curitiba para 2009. Ontem, o prefeito Beto Richa (PSDB) se reuniu pela primeira vez neste segundo mandato com secretários municipais para a assinatura do Contrato de Gestão, que define metas para toda a administração e para cada área específica da mesma, de acordo com o plano de governo registrado em cartório.

“O objetivo da redução do custeio é que todas as secretarias diminuam despesas com pessoal, material, serviços de terceiros, telefonia, entre outros gastos, para que uma quantidade maior de recursos possa ser revertida em obras para a cidade e programas sociais, beneficiando principalmente as comunidades mais carentes. Estamos vivendo um tempo de crise financeira mundial, um momento de muitas incertezas e que inspira cuidados”, disse o prefeito.

Existem metas estabelecidas para todas as áreas da administração municipal, como saúde, segurança pública, trabalho, esporte, cultura, meio ambiente e turismo. Porém, outra prioridade está na área da educação. Até o final de sua segunda gestão, no ano de 2012, Richa quer zerar as filas em creches públicas de Curitiba. “No último mandato, abrimos 10 mil vagas em creches na cidade. Nos próximos quatro anos, queremos disponibilizar outras dez mil para zerar as filas que ainda se fazem presentes nas instituições.” Outro compromisso na área de educação é o aumento das matrículas de crianças com deficiências nas escolas convencionais e a ampliação de vagas para as mesmas em escolas especiais.

Também até o final deste ano, outras metas são aumentar o uso dos sistemas de informação da prefeitura; obter 0,7 no Índice de Desenvolvimento da Gestão Pública (IDGP) de Curitiba (hoje o índice é de 0,56); atingir a avaliação satisfatória em 100% dos contratos de gestão; reprogramar no máximo 30% dos investimentos previstos; ampliar para 58% o percentual dos servidores com nível superior (atualmente o percentual é 53%); e atingir 90% de resolutividade das demandas priorizadas pela Administração Regional (hoje o índice é de 82,96%).

Até 2012, os principais compromissos são diminuir em 25% o tempo médio de atendimento às demandas do cidadão; construir 25 novas unidades de saúde; diminuir a mortalidade infantil; aumentar o índice de satisfação dos usuários com os serviços prestados; reduzir o tempo de emissão de licenças e alvarás; aumentar o número de usuários do transporte coletivo; e ampliar o número de ações em parceria do governo municipal com a sociedade. “O Contrato de Gestão foi baseado em experiências de sucesso da iniciativa privada e de administrações públicas. É um instrumento moderno, que será renovado a cada ano e visa fazer com que os compromissos de governo se tornem mais claros à toda população”, esclareceu Beto.