O governador Orlando Pessuti (PMDB) deve assinar até o fim desta semana o decreto nomeando os cinco nomes que farão parte da equipe de transição que vão trabalhar junto com os integrantes da comissão do governador eleito, Beto Richa (PSDB), no Palácio das Araucárias.

Até o fim do ano, decisões que comprometam obras e orçamento para 2011 serão discutidas conjuntamente entre as equipes de Pessuti e Beto. Os trabalhos da transição, oficialmente, começam dia 3 de novembro, logo após o segundo turno das eleições presidenciais, nas quais tanto Pessuti quanto Beto estão se dedicando nas próximas semanas.

“Não quero que tenha qualquer tipo de consideração sendo feita em função de uma disputa eleitoral”, justificou Pessuti. Até novembro, a equipe de transição de Beto se debruça sobre a estrutura estadual, conhecendo os organogramas e vinculações de cada secretaria.

Antes de fazer a nomeação, Pessuti quis conversar com Beto. O primeiro encontro entre os dois após as eleições aconteceu ontem, no Palácio das Araucárias. “Foi uma visita de cortesia. Já havíamos conversado algumas vezes, por telefone, e hoje conseguimos oficializar esse encontro, que abre os preparativos para a transição. Conversamos superficialmente, os técnicos designados por mim e pelo Pessuti vão tratar com mais tranquilidade”, disse Beto.

“Estamos prontos para repassar todas as informações que forem necessárias”, afirmou Pessuti. Beto e Pessuti decidiram que os projetos que possam comprometer a receita do Estado a partir do próximo ano serão discutidos entre ambos e os integrantes da comissão de transição.

Segundo Pessuti, o Estado será entregue “devidamente arrumado e ajustado do ponto de vista administrativo e financeiro”. “Até 31 de dezembro vamos honrar tudo o que é de nossa responsabilidade, como salários, 13.º salário, fornecedores e convênios com municípios”, garantiu Pessuti.

Entre os assuntos que serão discutidos pelo governador em exercício e pelo governador eleito estão o índice de reajuste do IPVA, o plano de custeio da Paraná Previdência e as propostas de emenda à Constituição (PEC) que tratam do reajuste salarial para algumas categorias, como a dos professores e dos policiais.

Sobre a criação da Defensoria Pública, o projeto segue a tramitação normal na Assembleia Legislativa, assim como a criação das secretarias da Mulher e de Relações Internacionais.

Pessuti pretende também deixar pronto para o próximo governador um projeto sobre possível construção de uma ponte sobre a Baía de Guaratuba. Ele também quer promover uma discussão mais ampla sobre a construção de um porto em Pontal do Paraná, que pode ser feito em parceria com a iniciativa privada.

O governador eleito destacou a expectativa de uma transição tranquila, apesar dos lados opostos na campanha nacional. “Eu e o Pessuti sabemos separar muito bem as coisas, somos políticos, temos que ter um lado, acreditamos numa ou noutra proposta, mas as questões administrativas estão preservadas”, respondeu Beto.

Pessuti informou que a equipe de transição terá representantes das secretarias da Fazenda, Casa Civil, e Planejamento e Controle Interno. A coordenação da equipe de Beto está a cargo de Carlos Homero Giacomini, secretário municipal de Planejamento de Curitiba, junto com Ivan Bonilha, Deonilson Roldo, Luiz Eduardo Sebastiani e Norberto Ortigara.

Depois de ser empossado em cerimônia na Assembleia Legislativa, no dia 1.º de janeiro, a transmissão do cargo de governador vai acontecer no Palácio Iguaçu, cujas obras devem terminar até 30 de nove,mbro.