O PSDB vai indicar o candidato a vice-prefeito de Luciano Ducci (PSB) e a escolha do nome caberá ao governador Beto Richa. Este é o acordo básico dos tucanos para nomear a comissão provisória do partido em Curitiba, que será comandada pelo presidente da Sanepar, Fernando Ghignone.

Indicada pelo governador, a comissão provisória vai se preocupar em montar a chapa de candidatos a vereador. Já está definido que PSB e PSDB farão um chapão para concorrer no próximo ano às 38 cadeiras da Câmara Municipal de Curitiba. Dos 14 atuais vereadores, apenas um, o presidente da Câmara, João Claudio Derosso, ainda não definiu se disputará a reeleição.

Derosso não integra a nova comissão. Ele deixou a presidência do partido em Curitiba, em março, quando se preparava para se reeleger ao cargo, que também era postulado pelo ex-deputado Gustavo Fruet. Para não desagradar Gustavo, a direção estadual interveio no partido, evitando a reeleição de Derosso. Não foi suficiente para Gustavo que deixou o PSDB em julho. Em seguida,

Derosso caiu em desgraça ao ser acusado de favorecer familiares em contratos de publicidade na Câmara Municipal de Curitiba. Ao ser questionado nesta quarta-feira sobre a exclusão de Derosso do comando do partido, o vice-presidente estadual do PSDB, Valdir Rossoni, esquivou-se .

“Foi definido pelo diretório. Está resolvido”, justificou. O chapão com o PSB foi a saída que os tucanos encontraram para tentar preservar o espaço na Câmara, ameaçado pela ausência de um candidato próprio do partido à prefeitura de Curitiba. Até o final deste mês, a nova provisória vai organizar a chapa que deverá incorporar alguns novos filiados.

A executiva provisória tucana é composta ainda pelo deputado federal Fernando Francischini, 1º vice-presidente, vereador João do Suco, 2º vice-presidente, o deputado estadual Mauro Moraes (secretário geral) e o secretário estadual de Saúde, Michele Caputo, como Tesoureiro.