O programa semanal “Café com o Presidente” vai ficar fora do ar até o final da campanha eleitoral. A decisão foi tomada depois da pressão contra o Palácio do Planalto por parte da coligação liderada pelo PSDB. O anúncio da suspensão do programa foi feita ontem, em sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pela advogada Hélia Betero, da Advocacia Geral da União (AGU).

Hélia Betero fez o anúncio quando os ministros do TSE começavam a julgar uma representação na qual a coligação que apoia a candidatura do tucano José Serra acusava o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a candidata Dilma Rousseff, o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Franklin Martins, e a diretora-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Tereza Cruvinel, de divulgarem feitos do governo federal no programa, transmitido pelo rádio.

De acordo com a coligação, isso desrespeitaria a legislação eleitoral, que proíbe os agentes públicos de praticarem condutas que possam afetar a igualdade de oportunidades entre os candidatos. A coligação sustentou que o programa é veiculado em todo o País e tem grande repercussão em jornais e emissoras de televisão.

Segundo a coligação, no programa de segunda-feira, os acusados teriam interferido diretamente no processo de sucessão presidencial. Conforme a coligação, o programa teria feito uma ampla divulgação da candidatura de Dilma Rousseff e de ações governamentais.