Foto: Anderson Tozato

Kuzma: convocando.

Após mais uma espera frustrada pela presença do presidente municipal do PMDB em Curitiba e assessor especial para assuntos da capital do governo do Estado, Doático Santos, os vereadores que compõe a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Invasões decidiram entrar na Justiça para exigir sua presença na CPI.

Citado em um dos primeiros depoimentos da comissão como incentivador e organizador de invasões na capital, Doático era esperado ontem, depois de uma convocação extra-judicial, mas, mais uma vez, não compareceu. ?Essa convocação não tem nenhum valor. Nada mais é que a repetição do convite que já foi feito anteriormente, e publicamente recusado?, declarou Doático, que disse não participar da CPI por considerá-la ?uma armação para desarticular a oposição municipal?.

Diante de mais uma negativa, os vereadores decidiram ir à Justiça para tentar garantir a participação do assessor na CPI. ?Ele foi citado e precisamos ouvi-lo para fazer um relatório completo. Só quem tem a ganhar é ele, que tem a possibilidade de desmentir as acusações?, disse o presidente da comissão, vereador Tico Kuzma (PPS).

Sobre a decisão da CPI, Doático ironizou. ?Eles vão descobrir que não têm instrumento para isso. O PMDB não vai sentar no banco dos réus. Se quiserem conversar com a gente, estou à disposição para um debate público, mas não na Câmara Municipal?, disse.

Kuzma reforçou que a CPI já estudou meios jurídicos para convocar Doático. A previsão do vereador é que Doático seja convocado para a reunião do dia 6 de agosto.