As 30 cadeiras de deputado federal reservadas para o Paraná serão melhor distribuídas entre a capital e o interior do Estado a partir de 2011. Com a eleição de domingo passado, a “bancada da capital” perdeu três cadeiras, reduzindo de 13 para 10 o número de deputados com a base eleitoral em Curitiba na Câmara Federal. Mesmo assim, com um terço dos deputados federais do Paraná, Curitiba segue super-representada em relação à proporção do eleitorado, já que a capital tem 1/5 dos eleitores do Estado. A Região Metropolitana é a responsável por esse número elevado de deputados federais da capital. Com 15% do eleitorado, os municípios da Grande Curitiba, elegeram apenas dois parlamentares, quando, pela proporção poderiam eleger até quatro. Mas muitos eleitores das cidades vizinhas a Curitiba preferem votar em candidatos da capital.

Da atual legislatura, 11 deputados não seguirão na Câmara Federal a partir do ano que vem. Desses, seis são da capital. Três tentaram a reeleição sem sucesso: Marcelo Almeida (PMDB), Affonso Camargo (PSDB) e Wilson Picler (PDT). Outros dois disputaram a eleição majoritária e foram derrotados: Gustavo Fruet (PSDB), para o Senado, e Rodrigo Rocha Loures (PMDB) para vice-governador. Cássio Taniguchi (DEM) não disputou a eleição. A capital ganhou três novos parlamentares: João Arruda (PMDB), Francischini (PSDB) e Rubens Bueno (PPS). A Região Metropolitana perdeu Luiz Carlos Setim (DEM), mas ganhou Leopoldo Meyer (PSB) e Rosane Ferreira (PV).

Sem representantes na atual legislatura, a região dos Campos Gerais conseguiu eleger seu deputado federal para o próximo mandato. Sandro Alex, segundo colocado na disputa para a Prefeitura de Ponta Grossa em 2008 foi eleito pelo PPS. O Noroeste perdeu Odílio Balbinoti (PMDB) e Ricardo Barros (PP), mas, ainda assim, ganhou uma cadeira, ao eleger os novatos Edmar Arruda (PSC), Zeca Dirceu (PT) e a esposa de Ricardo Barros, Cida Borgheti (PP). A região Oeste reelegeu seus cinco representantes e ainda conquistou mais uma cadeira, com o empresário Nelson Padovani (PSC). As regiões Norte e Sudoeste perderam uma cadeira cada. Chico da Princesa (PR) não conseguiu a reeleição e Alceni Guerra (DEM), não concorreu.

A média de idade da bancada paranaense na Câmara Federal pouco variou. O deputado reeleito Ratinho Junior (PSC), agora com 29 anos, continua sendo o paranaense mais jovem no Congresso, agora com a companhia de Zeca Dirceu (32) e João Arruda (34) como os mais novos. Mas a volta de Rubens Bueno (62 anos) e a eleição de Padovani (62) equilibrou a conta. Veja no quadro acima como ficou o mapa de representação do Paraná na Câmara e, também, a divisão por idade, área de atuação e interesse da nova bancada paranaense em Brasília.