A Controladoria-Geral da União (CGU), a Advocacia-Geral da União (AGU) e a SBM Offshore – gigante holandesa de aluguel de plataformas de petróleo – anunciaram nesta terça feira, 17, que firmaram ‘memorando de entendimentos’.

O documento contém a base para discussões entre a empresa, a CGU e a AGU para “um potencial acordo mutuamente aceitável”. Pelos termos do pacto, a SBM deverá fornecer “informações relevantes” para as investigações da Controladoria-Geral da União.

A SBM está sob investigação por suspeita de pagamento de propinas para funcionários da Petrobras. A empresa holandesa teria corrompido autoridades de vários países em troca de contratos milionários em sua área de atuação. Entre 2005 e 2011, segundo denúncias de um ex-funcionário, a SBM teria desembolsado US$ 250 milhões em propinas, inclusive para ex-dirigentes da estatal petrolífera brasileira.