Depois de ser analisado pela Procuradoria da Câmara Municipal de Curitiba, o pedido de afastamento definitivo de João Claudio Derosso (PSDB) da presidência da casa vai ser discutido na Comissão de Legislação e Justiça. A solicitação foi feita pela de oposição no último dia 22. No requerimento, os vereadores da bancada pediam também a realização de uma nova eleição para o cargo. Em seu parecer, a Procuradoria considerou que não há necessidade de afastamento definitivo porque Derosso já está licenciado nem de outro pleito por não haver renúncia, destituição ou morte de seu titular.

No entanto, a decisão ficou para os próprios parlamentares, pois a Procuradoria alegou não ter autonomia para definir o caso. Desta forma, o vereador Emerson Prado (PSDB) foi destacado para ser o relator da análise do requerimento na Comissão de Legislação e Justiça, decisão que provocou insatisfação entre os parlamentares de oposição. “Se a Procuradoria disse que não pode analisar a questão, o requerimento deveria ser encaminhado para votação no plenário, não em uma comissão cujo relator já foi presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que discutiu o caso de Derosso”, contestou o líder da oposição, Jonny Stica (PT).

O vereador afirmou que devido ao que chamou de “posição equivocada do presidente da casa, Sabino Picolo (DEM) em encaminhar o requerimento à Comissão”, a bancada pretende entrar com um recurso, exigindo que a questão seja discutido pelos demais parlamentares em plenário. “Essa análise tem que ser feita de forma democrática e transparente direto no plenário”, comentou. De acordo com ele, a oposição acredita que há grandes chances de o pedido de afastamento definitivo e nova eleição ser aceito pela maioria se for a plenário. Procurado pela reportagem, Prado não quis se manifestar.

Derosso é acusado de cometer diversas irregularidades durante seu período na presidência, inclusive a contratação da empresa de sua esposa, Claudia Queiroz Guedes, em licitação para escolha de agências de publicidade para prestação de serviços para a Câmara.