Chegou ao fim a novela das Comissões Parlamentares de Inquérito da Câmara Municipal de Curitiba. Há quase dois meses os temas das três CPIs que serão instaladas já foram definidos, mas a falta de acordo entre os blocos de oposição e situação fez com que até agora os trabalhos não tivessem início.

Participaram da reunião o líder do prefeito na Casa, Rui Hara (PSDB), o líder da oposição, André Passos (PT), e o presidente João Cláudio Derosso (PSDB). Com isso na próxima semana já devem ter início os trabalhos das Comissões dos Combustíveis, da Telefonia e dos Acidentes de Trânsito.

Pelo acordo definido nesta terça-feira os partidos de oposição (PT, PMDB e PDT) ficam com duas relatorias e com a presidência de uma das Comissões Especiais de Investigação (CEI). Depois de acordos e indefinições ficou acertado que a presidência da Comissão do Trânsito fica a cargo de Jonathas Pirkiel (PL) e a relatoria com Jair Cézar (PSDB). Na dos Combustíveis o presidente é Fábio Camargo (PSC), e a relatoria de Pedro Paulo Costa (PT). Já na da Telefonia Antônio Bueno é o presidente e André Passos o relator.

“Ficou de bom tamanho o acerto para as Comissões, até porque a oposição não poderia ficar sem nada. A dificuldade para um acordo foi grande porque a bancada não tinha este mesmo entendimento, e foi difícil fazer 26 vereadores falarem a mesma língua”, explicou Rui Hara.

De acordo com André Passos a oferta não foi ideal, mas contentou os vereadores. “O acordo foi uma demonstração de que a Câmara é democrática e composta por vários partidos”, disse. “É claro que nós esperávamos que as CPIs que investigam a administração pública, como a do Caixa 2 viessem a sair, mas não podemos dizer que investigar questões que atingem a comunidade não são necessárias”, opinou.