Convocada para esta terça-feira, 17, a instalação das comissões mistas que irão tratar do ajuste fiscal foi adiada em razão do impasse para a escolha dos presidentes e relatores. Sem acordo, apenas a comissão mista que discutirá a Medida Provisória 660 será instalada no dia de hoje. A proposta permite que os servidores dos ex-territórios do Amapá e de Roraima permaneçam nos quadros de pessoal da União, além de sistematizar as tabelas de salários, vencimentos, soldos e demais vantagens.

A previsão inicial era que outras seis comissões mistas fossem instaladas hoje. O Palácio do Planalto tem acompanhado principalmente o andamento das MPs 664 e 665, que tratam de ajustes em benefícios previdenciários e trabalhistas. Outra MP que está no radar do Executivo é a 670, que prevê o reajuste escalonado da tabela do Imposto de Renda.

“Não tem nada resolvido. Não é fácil encontrar um relator que irá tratar com temas tão sensíveis como o dos trabalhadores e o previdenciário”, afirmou o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), após se reunir no plenário com o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE).

Após encontro realizado com representantes da equipe econômica na noite de segunda-feira, 16, integrantes da bancada do PT na Câmara chegaram a anunciar que o deputado Afonso Florence (PT-BA) seria o indicado para ocupar a relatoria da MP 665, que promove algumas alterações nas regras do seguro-desemprego. “Não tem nada acertado”, assegurou Eunício.

As novas reuniões estão pré-definidas para esta quinta-feira, 19, às 9h30.