Reestruturação da estatal paranaense
será realizada em três fases.

A diretoria da Copel receberá ainda este mês um levantamento interno detalhando as atividades, funções e processos de gestão adotados pela empresa. A diretoria receberá, ainda, propostas para a nova estruturação administrativa interna da estatal, dentro do projeto de reverticalização determinado pelo governador Roberto Requião.

Esse estudo mobilizou mais de 300 empregados da Copel, que a partir do diagnóstico da situação atual propuseram alternativas para um novo modelo de gestão capaz de atender ao projeto de reintegração da companhia, sua manutenção sob o controle do Estado e a atuação orientada à satisfação dos interesses da sociedade.

O processo de reestruturação da Copel foi iniciado em fevereiro e tem sido conduzido diretamente pelo presidente da estatal, Paulo Pimentel, que tem garantido oportunidade de participação a qualquer empregado que queira contribuir com idéias e sugestões.

“Todo o esforço tem sido pautado por duas diretrizes que são soberanas: transparência e liberdade de manifestação, fatores que garantem legitimidade e representatividade a este trabalho”, afirma Pimentel. “Ninguém melhor que os próprios empregados para desenhar a estrutura da nova empresa de energia dos paranaenses, cuja visão estará voltada para os desafios do futuro e para os frutos a serem colhidos em benefício do Paraná.”

Pimentel lembra que a diretoria está empenhada em resgatar um compromisso de posse assumido com o governador Roberto Requião. A reestruturação da Copel está prevista para ser concretizada em três fases. As etapas posteriores são as que tratam da implantação e consolidação do novo modelo, prevista para acontecer até o final de julho, e da formalização e legalização do novo perfil da companhia.