A CPI da Reforma Agrária fez ontem a sua primeira reunião na sala das comissões da Assembléia Legislativa, com direito a reclamações. O deputado Padre Paulo (PT) chegou no horário marcado para o início dos trabalhos e não encontrou os colegas que deveriam participar do encontro. Esperou meia hora e acabou se retirando, não sem antes apresentar seu protesto e preocupação em relação à seriedade da comissão. Seu presidente, deputado Élio Rusch (PFL) rebateu que os atrasos acontecem com frequência e que isso não inviabiliza a ação da CPI: “Não existe delimitação de quórum para ouvir depoimentos, apenas para deliberações.”

Os primeiros depoimentos foram agendados para a próxima terça-feira (dia 6): o advogado da Comissão Pastoral da Terra, Darci Frigo, o consultor de Assuntos Fundiários da Federação da Agricultura do Estado do Paraná – Faep, José Guilherme Lobo Cavagnari, e o presidente do Instituto Ambiental do Paraná -IAP, Rasca Rodrigues.