A CPI dos Jogos Mundiais da Natureza, presidida pelo deputado Dobrandino da Silva (PMDB), ainda está reunindo documentos para auxiliar os parlamentares que integram a Comissão nas investigações sobre possíveis irregularidades ocorridas durante a realização do evento patrocinado pelo governo estadual na gestão de Jaime Lerner. As denúncias apontam que houve superfaturamento na construção das obras nos municípios banhados pelo lago de Itaipu, na região Oeste. Segundo Dobrandino, esta documentação será peça importante ao longo dos trabalhos que devem durar 120 dias.

O presidente da CPI instalada na Assembléia Legislativa encaminhou ofício a diversos órgãos do governo solicitando informações sobre os Jogos. Na correspondência enviada ao coordenador da Paraná Esportes, Ricardo Gomyde, Dobrandino pede que seja esclarecida a situação atual das bases náuticas construídas na Costa Oeste. Da mesma forma, a CPI solicitou ao presidente da Itaipu , Jorge Samek, detalhes sobre o contrato firmado entre a empresa binacional e as construtoras do parque da barragem, projetada especialmente para os Jogos Mundiais da Natureza.

Também o Tribunal de Contas do Estado, através do seu presidente Henrique Naigeboren, foi solicitado a fornecer cópias de todas as prestações de contas encaminhadas pelo governo estadual referentes aos Jogos. A CPI solicitou ao TC cópia do processo referente a impugnação do Canal da Barragem. Já o secretário estadual do Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida, deverá informar à Comissão o valor total da obra bem como as licitações realizadas para escolha das empresas responsáveis pela sua construção.

Por outro lado, o secretário estadual do Turismo, José Cláudio Rorato, deverá encaminhar à comissão cópia das notas fiscais onde estão apontados os gastos do governo anterior com os Jogos Mundiais da Natureza. Da mesma forma, Dobrandino da Silva encaminhou ofício ao secretário da Comunicação Social, Airton Carlos Pisseti, solicitando a relação do montante de dinheiro público utilizado na veiculação das peças publicitárias destacando os Jogos na mídia. A mesma solicitação chegou às mãos do secretário estadual da Fazenda, Heron Arzua.

De acordo com o presidente da CPI, as autoridades terão o prazo máximo de 30 dias para responder às solicitações da Comissão, conforme estabelece a Lei n.º 12.882 de 29 de junho de 2000. Dobrandino da Silva esclarece que tão logo a CPI dos Jogos Mundiais da Natureza tenha em mãos a documentação solicitada, terá início a fase dos depoimentos.