A CPI do Porto de Paranaguá na Assembléia Legislativa transferiu para a próxima segunda-feira (14) a reunião para apresentação do relatório final de seus trabalhos, iniciados no primeiro semestre do ano passado. O encontro havia sido inicialmente agendado para ontem, mas a movimentação das bancadas em torno da eleição da presidência da Comissão de Constituição e Justiça, além da sessão solene especial em homenagem ao Dia das Mulheres, impediu sua realização.

O relator, deputado Alexandre Curi (PMDB), adiantou que vai pedir o indiciamente de oito pessoas ouvidas pela comissão, entre elas ex-diretores da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina – Appa. Vai também sugerir que a indicação dos futuros superintendentes da entidade passe pelo referendo do Legislativo, a exemplo do que ocorre com o procurador-geral de Justiça, por exemplo.

Balanço

O documento vai fazer um balanço das ações empreendidas no setor portuário, desde que o deputado Waldir Leite (PPS) apresentou, em plenário, denúncias de mau gerenciamento e outras irregularidades, conseguindo aprovar um requerimento para a criação da CPI no ano passado. Curi garante que apontará tanto o que considera acertos quanto o que qualifica como erros, acrescentando sugestões a serem encaminhadas ao governo, à Appa e outros setores afins. Além das audiências públicas, a comissão fez visitas ao terminal, onde constatou sérios problemas sanitários que agora estariam sanados. O sumiço de soja depositada no porto e os contratos para serviços de dragagem foram outros assuntos polêmicos analisados pelos parlamentares ao longo de oito meses e inúmeros depoimentos. Até o vazamento de óleo do navio chileno Vicuña, com danos ambientais em boa parte do litoral paranaense, determinou a convocação de empresários e responsáveis pela segurança do terminal portuário.

Segundo o presidente da comissão, deputado Valdir Rossoni (PSDB), após a apresentação, o relatório ficará aberto para a apresentação de emendas pelos deputados. Aprovado, será encaminhado à apreciação do plenário. Ele acredita que os trabalhos poderão ser encerrados na semana que vem. As outras duas CPIs instaladas na Assembléia Legislativa no ano passado já concluíram suas atividades. A das Universidades foi a primeira: apresentou seu relatório ainda no final do ano. A da Reforma Agrária, que também estendeu suas sessões até fevereiro, aprovou o relatório final na semana passada.