A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Banestado, que investiga a remessa ilegal de dólares ao exterior, decidiu ontem solicitar ao Banco Central e à Secretaria do Tesouro Nacional o encaminhamento de cópias de todos os processos, registros, operações e negociações que envolveram, direta ou indiretamente, os bancos Bamerindus e o HSBC. A Comissão quer, com os documentos, esclarecimentos sobre evasão de divisas, principalmente por meio das chamadas contas CC5.

Ontem, o ex-presidente da Câmara dos Vereadores de São Paulo, Armando Mellão Neto, foi denunciado pelo crime de tráfico de influência. De acordo com o Ministério Público Federal, ele teria utilizado nomes de integrantes da CPI do Banestado para obtenção de vantagens indevidas. A denúncia à Justiça Federal foi feita ontem. Mellão estava preso desde 19 de março, por força de um mandado de prisão temporária expedido contra ele a pedido do MPF. Desde 24 de março, ele está preso preventivamente.

Youssef

Nesta sexta-feira (dia 23), a CPI ouvirá o doleiro londrinense Alberto Youssef, acusado pelo Ministério Público de sonegar mais de R$ 33 milhões de impostos entre 1996 e 1999. Ontem, a Comissão ouviria o doleiro Antônio de Oliveira Claramunt, o “Toninho Barcelona”, mas ele deixou de comparecer. A CPI resolveu convocá-lo depois que escutas telefônicas realizadas pela Justiça indicaram o envolvimento dele em transações ilegais de remessas de dólares ao exterior. Toninho Barcelona é apontado como um dos maiores doleiros do País.

O presidente da CPI, senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), e o relator, José Mentor (PT/SP), estranharam a ausência de Toninho Barcelona, mesmo depois de ter solicitado ajuda da Polícia Federal (PF) para conduzir o doleiro às dependências do Senado Federal para depor. A PF chegou a enviar carta à presidência da CPI, lida por Antero, comunicando que, apesar de várias diligências, o doleiro não foi encontrado. O senador Romeu Tuma (PFL-SP) sugeriu que o doleiro seja conduzido à CPI coercitivamente, pela Polícia Federal, para prestar depoimento. Na próxima terça-feira (27), a CPI ouvirá o ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta.