A CPMI do Banestado decidiu ainda reconvocar o paranaense Alberto Dalcanale Neto e Ruth Whately Bandeira de Almeida, respectivamente ex-presidente e ex-diretora do extinto Banco Araucária, para que prestem maiores esclarecimentos à comissão sobre o uso de “laranjas” para remessas irregulares de recursos ao exterior. Também foram reconvocados os ex-controladores e diretores brasileiros do Banco Integración, que funcionava no Paraguai e era utilizado para movimentação ilegal de contas CC5 na agência do Banestado em Foz do Iguaçu.

A ex-mulher do juiz João Carlos da Rocha Mattos, Norma Regina Emílio Cunha, também será ouvida pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Banestado. Os dois estão sendo investigados pela Operação Anaconda da Polícia Federal.

Os parlamentares vão ouvir ainda o ex-presidente do Banco Excel Econômico Ezequiel Edmond Nasser e integrantes da diretoria dos bancos Excel e Bilbao Vizcaya (BBV), que assumiu o controle do Excel Econômico a partir de 1998. Eles deverão explicar as negociações com o Banco Central no período entre 1995, quando o Banco Econômico foi absorvido pelo Excel, e 1998, quando foi vendido ao BBV.