A Polícia Militar já registrou 32 casos de crimes eleitorais no Paraná, sendo dois na Região Metropolitana (RMC) de Curitiba e 30 no interior do estado, somente na manhã deste domingo, das 8h às 12h30. Os dois casos da grande Curitiba foram registrados em Almirante Tamandaré (uma mulher fazendo boca de urna) e um em Piraquara (um homem também fazendo boca de urna). Os envolvidos foram encaminhados para as delegacias locais.

Já no interior do estado foram 30 encaminhamentos, sendo um em Ponta Grossa, um em Jaboti, um em Jacarezinho, três em Vitorino, um em Maringá, três em cascavel, quatro em Itapejara, um em Apucarana, um em Ivaiporã, dois em Itaipulândia, um em Rolândia, um em Laranjeiras do Sul, dois em Cornélio Procópio, um em Congoínhas, um em Sertaneja, um em Tibagi, um em Rosário do Ivaí, três em Jandaia do Sul (todos pelo crime de Boca de Urna) e um em Mamborê (Compra de Voto).

Desde o meio dia de sábado (2) até a madrugada deste domingo, nove pessoas foram encaminhadas pelos crimes de boca de urna desobediência, distribuição de alimentos e de combustíveis, nas cidades de São João do Triunfo, Ponta Grossa, Campo Mourão, Carlópolis, Abatia, União da Vitória e Ponta Grossa.

Em Ponta Grossa, policiais do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM), detiveram quatro mulheres por estarem jogando panfletos de propaganda de candidatos na rua. As detidas e o material foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal da cidade para as devidas providências cabíveis.

Policiais militares pertencentes ao 1º BPM detiveram após uma denúncia anônima dando conta que um homem estaria distribuindo cestas básicas para a população. Na vila Dal Col foi localizado um veículo Saveiro com dois ocupantes e na carroceria do carro foi encontrada uma cesta básica divida em três partes e vários panfletos de um candidato a deputado estadual. Os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Local.

Na cidade de Carlópolis, policiais do 2º BPM, receberam uma solicitação do chefe do cartório eleitoral da cidade, afirmando que estariam distribuindo combustível para automóveis em um posto, o que caracteriza crime eleitoral. Duas pessoas foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia local. Além disso, em outro posto de combustíveis da região central da cidade, mais um homem foi detido pelos mesmos motivos.

Em União da Vitória, policiais pertencentes 2ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) realizaram o cumprimento a Mandado de Busca e Apreensão, na sede de um comitê eleitoral de um candidato, de material publicado em um jornal com conteúdo ilegal. Foram apreendidos 55 exemplares do material, posteriormente encaminhados para o cartório eleitoral de União da Vitória.
Um efetivo de dois mil policiais militares estará nas ruas da capital fazendo o patrulhamento durante as eleições. Quem for pego cometendo crimes eleitorais como boca de urna, propaganda eleitoral, comício e compra de votos ficará detido em um novo complexo dentro do prédio do Fórum Eleitoral, no TRE. Até as últimas eleições, o chamado “cadeião” ficava dentro da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Urnas

Até o momento, onze urnas eletrônicas precisaram ser substituídas pelo TRE em Curitiba. No restante do Estado, foram 91 equipamentos trocados devido a algum problema de funcionamento. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que, nesta manhã, 587 urnas eletrônicas haviam sido substituídas por outras máquinas em todo o Brasil. No Amazonas, um dos equipamentos foi trocado por votação manual. A maior incidência de problemas com as máquinas foi no Rio de Janeiro, com a troca de 77 urnas.

Filas e denúncias de compra de votos na RMC

De maneira geral, a votação na Região Metropolitana de Curitiba transcorre com bastante tranquilidade neste domingo (03). No entanto, alguns casos pontuais chamaram atenção. No colégio Abraham Lincoln, em Colombo, filas imensas deixaram os eleitores esperando vários minutos para conseguirem votar.

Ainda em Colombo, uma pessoa foi detida por boc,a de urno e encaminhada para o fórum da cidade. Lá, prestou depoimento e, mediante pagamento de fiança, foi liberada. Já em Campo Largo, há algumas denúncias de compras de voto, mas a polícia segue apurando e nada foi comprovado até agora.

A reportagem da Banda B segue percorrendo diversos municípios da Região Metropolitana, mas até agora a votação segue de maneira bem tranquila.