Alvaro: “O PSB está conosco sem condicionar
o apoio”.

A campanha do candidato ao governo do Paraná pela Coligação Vote 12, Alvaro Dias, passou a contar, desde ontem, com o apoio do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

A executiva estadual do PSB, presidida por Severino Araújo, que disputou o governo no primeiro turno, formalizou a adesão durante entrevista coletiva na sede do Comitê da Mulher da Coligação Vote 12.

Alvaro agradeceu o apoio ressaltando que “Severino faz política com grandeza, pensando no bem comum, porque o PSB está conosco sem condicionar este apoio a cargos no governo, assim como estão fazendo todas as lideranças que nos apóiam”. O candidato pedetista também anunciou que recebeu o apoio formal, na segunda-feira, 14/10, de 22 vereadores de Curitiba, a maioria representantes da bancada do prefeito Cássio Taniguchi. O presidente do PSB foi ao encontro acompanhado das principais lideranças do partido no Estado, como os deputados estaduais recém-eleitos, Reni Pereira e Luciano Ducci.

Severino afirmou que o PSB decidiu pelo apoio a Alvaro porque considera o pedetista uma “pessoa dotada de equilíbrio emocional, demonstrando que é o candidato mais apto para assumir o cargo de governador e receber o respeito e a compreensão do povo do Paraná”. O presidente do PSB também frisou que o apoio a Alvaro ocorre de forma integral dentro do partido, porque é uma decisão que passou pelo crivo dos membros da executiva estadual.

“No PSB, não há espaço para dissidências entre as lideranças. Assim como no segundo turno estamos apoiando o petista Lula para presidente, estamos com Alvaro para governador”, afirmou. As lideranças do PSB também garantiram trabalhar pela eleição de Alvaro, a exemplo do deputado estadual Luciano Ducci. Ele disse que Alvaro representa o futuro do Paraná. “Temos que ir para frente e não caminhar para trás”, destacou. Entre os partidos das lideranças que o apóiam, Alvaro citou o PFL, o PSDB e até mesmo o PMDB e o PT.

Garotinho

Severino ainda acrescentou que irá articular a participação do ex-presidenciável do partido, Antony Garotinho, na campanha de Alvaro, tanto no horário eleitoral gratuito como nos comícios. “A vinda de Garotinho ao Paraná não está descartada”, afirmou. Alvaro declarou estar aberto ao apoio de Garotinho porque “sou amigo dele há muito tempo. Ele obteve um desempenho formidável como governador do Rio, tanto que, sua mulher, Rosinha Garotinho, foi eleita governadora. O desempenho dele na campanha presidencial também foi excelente, principalmente, se levarmos em conta os poucos recursos com os quais trabalhou”.

Senador contesta Senso

O candidato do PDT ao governo, senador Alvaro Dias, deu o troco ontem ao senador Roberto Requião (PMDB), que contestou os resultados da pesquisa Ibope, que indica um empate tecnico entre os dois. O peemedebista tem 43% e o pedetista obteve 44%. Alvaro denunciou a empresa Senso, responsável por uma pesquisa divulgada anteontem na qual Requião aparece liderando a disputa com 48% das intenções de votos contra 37% do adversário.

Para Alvaro, a empresa é uma “fraude” montada para inflar as intenções de votos do senador peemedebista. De acordo com o candidato do PDT, a empresa Senso é suspeita de manipulação de resultados. “Essa tentativa de enganar o eleitor não contribui para o processo democrático”, afirmou ontem o senador durante uma entrevista coletiva realizada ao receber o apoio do PSB à sua candidatura.

Cobrança

A assessoria do senador sustenta que a Senso não tem representantes no Paraná e sua sede não fica no endereço indicado ao TRE mas sim num apartamento em São Paulo. O endereço da empresa em São Paulo, segundo informado ao TRE, seria a rua Frei Caneca 812, conjunto 1804, no bairro Cerqueira César, em São Paulo. No entanto, a pessoa que aparece como representante legal da empresa, a psicóloga paranaense Marise Rauen Viana, contatada pela assessoria jurídica de Alvaro informou que a empresa na verdade funcionaria em seu próprio apartamento (Rua João Moura, 2347,apto 151, bairro Sumaré, também em São Paulo).

Ainda de acordo com a assessoria do senador, a Senso deve explicações sobre como conseguiu entrevistar 1.452 pessoas em 60 municípios de diferentes regiões do Estado com um custo de apenas R$ 4 mil.

Ibope

Ontem, o Ibope emitiu uma nota sobre a denúncia de Requião sobre manipulação dos resultados da pesquisa: “O candidato Roberto Requião sabe muito bem que o Ibope é uma instituição idônea e que construiu sua credibilidade trabalhando sério e com total isenção nestes 60 anos. O Ibope foi o único instituto de pesquisa do País a realizar pesquisas regulares em 27 estados até o dia da eleição, e o índice geral de acertos foi de 96%”.

Empresa reage à acusação

A empresa Senso Coleta de Dados encaminhou à Fundação Pedroso Horta nota de esclarecimento contestando as acusações do senador Alvaro Dias (PDT).

“A Senso – Coleta de Dados S/C é uma empresa com mais de 12 anos de existência, legalmente constituída, registrada no 3? Registro Civil de Pessoas Jurídicas, em São Paulo, tendo CGC/MF 38.881.355/0001-00, com uma extensa relação de serviços prestados e que mantém, no Paraná, um contrato com a Fundação Pedroso Horta, para avaliar as tendências eleitorais com relação às eleições para o governo estadual.

De acordo com a nota, a Senso, desde o início do seu contrato vem registrando seu trabalho junto ao Tribunal Regional Eleitoral, obedecendo o que determina a lei 9.504/97, através de seu artigo 33. Dessa forma, garante a empresa, cumpre todos os requisitos necessários definidos em lei, sem que tenha havido até agora nenhum pedido de impugnação a qualquer dos registros feitos junto à justiça eleitoral, o que é possível a todos os partidos e coligações.

Conforme a nota, a empresa repele todas as insinuações, assegura que seu trabalho obedece rigorosamente as exigências técnicas e as normas legais e pretende tomar “providências junto à justiça para preservar o conceito que desfruta com seus clientes”.

“O bom senso de Alvaro Dias deveria alertá-lo para o grande e inegável crescimento da candidatura de Requião, que já virou o jogo”, afirmou o coordenador jurídico do PMDB, Luiz Carlos Delazari.