Vanhoni é o candidato das duas legendas a prefeito.

Em meio à troca de acusações com a ala peemedebista pró-candidatura própria, as direções municipais do PMDB e do PT fecham hoje um acordo para a sucessão do prefeito Cassio Taniguchi (PFL), em Curitiba.

O pré-candidato do PT, deputado estadual Ângelo Vanhoni, e o secretário estadual de Educação e integrante da executiva municipal do PMDB, Maurício Requião, vão divulgar um documento em que os dois partidos se comprometem a apresentar uma chapa única para as disputas majoritária (prefeito) e proporcional (Câmara Municipal) nas eleições deste ano.

O termo de compromisso será assinado por convencionais do partido que apóiam a aliança e que, de acordo com a direção municipal do PMDB, representam a maioria dos peemedebistas. A pré-coligação será selada em almoço no restaurante Madalosso, em Curitiba, e deverá ser oficializada nas convenções marcadas para junho.

O governador Roberto Requião (PMDB) não comparecerá ao encontro, segundo informou a assessoria do Palácio Iguaçu. Apesar de já ter declarado ao jornal Folha de S.Paulo, no mês passado, que tem preferência por Vanhoni como representante de uma candidatura única das oposições, o governador decidiu não acirrar os ânimos internos e manterá distância do evento petista-peemedebista.

Vice

Apesar de o desenho da aliança com Vanhoni indicar a participação de outras siglas, como o PCdoB, e de o PT estar conversando com o PL, entre outros, o PMDB diz que tem preferência na indicação do candidato a vice-prefeito. O presidente municipal do partido, Doático Santos, disse que a condição está implícita no acordo, sem necessidade de constar no documento.

A ala pró-aliança do PMDB já listou alguns nomes para oferecer como candidato a vice-prefeito na chapa que seria encabeçada por Vanhoni. A lista é composta por quatro secretários de Estado: Cláudio Xavier (Saúde), Luiz Cláudio Romanelli (Cohapar), Nizan Pereira (Assuntos Estratégicos) e Renato Adur (Desenvolvimento Urbano). E mais recentemente foi anexado o nome do deputado estadual Alexandre Curi como um possível nome para a chapa.

Bate-boca

O presidente do diretório municipal do PT, Roberto Salomão, disse ontem que não vai alimentar polêmicas com o deputado federal Gustavo Fruet (PMDB), que acusou o PT de forçar uma aliança e de tentar interferir nas decisões internas do PMDB. “Não vamos entrar no mérito e nem criar polêmica por causa das declarações do Gustavo. Nós estamos no nosso direito de defender a aliança, assim como o Gustavo está no seu direito de trabalhar pela candidatura própria. É um jogo político”, disse Salomão.

O dirigente petista afirmou ainda que o PT não está invadindo o espaço das decisões peemedebistas. “O PMDB tem instâncias próprias. Não estamos interferindo no que acontece no PMDB. Mas deixamos claro que queremos aliança. E torcemos para que o PMDB decida por esse acordo. Mas esse é um problema que eles têm que resolver internamente”, declarou.

Seminário debate quadro

O deputado federal Gustavo Fruet e o deputado estadual Rafael Greca participam hoje em Curitiba de um seminário, com a presença estimada de 63 pré-candidatos que pretendem disputar as eleições neste ano pelo partido. Eles vão manifestar seu apoio aos pré-candidatos e insistir na defesa da tese da candidatura própria da legenda à Prefeitura de Curitiba.

No encontro, está prevista palestra dos vereadores, que falarão sobre “O papel do vereador na defesa da cidade”. Além deste tema, também fazem parte do programa assuntos como “A legislação eleitoral em 2004” (que será conduzida pelo professor Fernando Knoerr, titular da disciplina de Direito Eleitoral da Faculdade de Direito de Curitiba); e “Segurança pública – Uma preocupação de todos” (com o empresário Ricardo Mac Donald Ghisi).

O deputado Gustavo Fruet vai falar sobre o tema “Curitiba, candidatura própria no PMDB”. Gustavo também vai apresentar aos pré-candidatos uma análise dos resultados da última pesquisa de opinião sobre as eleições deste ano. Concluindo a pauta dos trabalhos, o deputado Rafael Greca falará sobre “Uma vitória em Curitiba”. Um debate também deve acontecer ao encerramento das atividades do dia.